domingo, 13 de fevereiro de 2011

Limitações Mecânicas


Como é agonizante ser um ser limitado em sua margem e massa corporal. Um ser vivente portador de grandes sentimentos, aqueles maiores que eu, mas meu espírito é barrado por esse veículo físico com uma pele esbranquiçada e quase gélida. Umas interpretações que não suportam meu corpo, e planos não finalizados porque os olhos dessa massa me impedem. Vontade de não ter vontade, ou ao menos realizar algumas, mas esse veículo me atrapalha. Tão expressivo, e instrumento de prazer, mas tão longe do que eu quero.   Eu poderia ter feito tantas coisas se minhas mãos não tivessem me impedido, se os meus olhos não filmassem. Uma dádiva, um peso. Prendemos-nos por moral, e perdemos uma, duas, três, inúmeras vezes, pois isso é tudo que representa nosso espírito. Um mecanismo engenhoso programado para, inconscientemente, nos manter de pé, e só. Não nos revela, muitas vezes, mas alguns arriscam em uma leitura, e caem. É impossível uma interpretação com precisão, e tudo que quero fazer está gravado em mim, essas marcas começam de fora para dentro, e às vezes, de dentro para fora. Por que meu corpo impede-me de expressar esse amor que sinto?  

5 comentários:

  1. Hehe, muito bom. *-* 1 comentário \o/ quero mais =/

    ResponderExcluir
  2. me sinto assim as vezes =/ Mto bom!

    ResponderExcluir
  3. Cara eu fico impressionado porque eu leio um texto seu e depois você vem com um melhor que o anterior. você é muito, mas muito boa nisso.

    ResponderExcluir
  4. pow Áquila, eu criei um blog também, ele é bem jovem. nome do blog é "o portal: jovens para cristo". é um blog evangélico que trás tudo o que os jovens gostam, que é baixar musicas, filmes, livros, séries. eu estava com uma idéia de colocar as vezes em alguma postagem, um texto seu. se você permitir é claro !

    ResponderExcluir
  5. Bem, agora pós a leitura deste belíssimo e nobre texto, não consigo ao menos entender o tema "amor" mesclado entre estas palavras vossas, riquíssimas de jovem poetiza; enfim, acredito que seu texto, segundo vós "sem interpretação correta", trouxe a meu entendimento, um desabafo difícil com uma suave nostalgia e arrependimento, típica de uma jovem e bela garota que sonha alto com receio. Não se preocupe, e muitos menos se martirize pela "massa física", talvez aquilo que não tenha se realizado com presteza, terá quem sabe amanhã um significado acima de nosso entendimento. Não leve-se por passos inseguros, é melhor ter o futuro maduro, ágil e seguro, que um passado exausto, oprimido e obscuro. Talvez a vida, tenha muitos a nos ensinar... quer minha interpretação esteja errada ou não.

    Ósculo demasiado, despeço-me.

    ResponderExcluir