quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Dor de Lembrar


Aquele abraço não dado, possivelmente, teria sido o melhor, pois seria o último. As palavras não ditas, talvez fossem as palavras mais sensatas a se dizer. Aquele sorriso guardado seria a última imagem que guardaria. Naquele espaço cheio de gente, as mãos se entrelaçavam escondidas de todos os olhares, e o coração acelerado estava quase saindo, mas os lábios sem abertura, sequer um mínimo sorriso era dado, os pensamentos eram sérios, algumas vezes dividia-se entre boas lembranças, e maquinava como deixá-las. Doía tanto participar da felicidade e da saudade que tudo isso deixaria, era tudo que tínhamos.  Vivíamos no alto, e víamos tudo se desmoronar, mas os dedos continuavam entrelaçados, e o sorriso escondia o medo e o dia em que tudo isso acabaria.  A verdade era escondida, em vão, o destino é impiedoso, e a mão de Deus, divina.  O melhor era sair dessa felicidade:  abandonar tudo era saudável, e a tristeza troféu de ter vencido as amarras dos dias.  Eu não reclamo dessa vidinha, pelo contrário, a amo, mas dói lembrar. Lamentável é querer, porém, longe de nossas mãos o poder. Era fim de fevereiro, e o fim dos melhores dias. Eu queria ao menos ter dito um “ te cuida”, ou “ eu não vou esquecer”, mas esse direito me foi tirado, só entenda que o importante sabemos, esse amor é todo nosso segredo.

5 comentários:

  1. e o "muso inspirador" desse texto deve ter sido marcante mesmo... pra dar origem a algo assim eu só ouvi falar da Eleonora, Julieta e Julieta do Castro Alves...

    é um belo lamento

    ResponderExcluir
  2. ôpa... Eleonora, Julieta e Julia **

    lá vai eu duplicando a Julieta

    ResponderExcluir
  3. "Vivíamos no alto, e víamos tudo se desmoronar, mas os dedos continuavam entrelaçados..."

    Quão perpétuo aparentava o sentimento que, nesta hora tão precisa, parte para "quem sabe" nunca mais. Sim, esse "perpétuo" todos nós já enfrentamos... é bom ressaltar que tudo se renova; o hoje que passa, será "ontem" amanhã, e assim vamos caminhando, "[...]gemendo e chorando neste vale de lágrimas[...]".

    ResponderExcluir
  4. Desculpa a demora para comentar =/ Uma história triste e bonita u.u xonei nela *o* 'e o "muso inspirador" desse texto deve ter sido marcante mesmo...' || esse blog ainda continua sendo o meu BEST e psicólogo <3

    ResponderExcluir
  5. Mais objetivo que o usual, gostei.

    ResponderExcluir